terça-feira, 15 de abril de 2008

O CANTINHO

Tô fora desse lugarzinho sem vergonha, salafrário!!
EU HEIN?
Nossa! Ô lugarzinho frio, sem luz e sem graça!
Pelo amor!

Quando me vi, já tava lá, com esse narizinho aqui grudado naquele cantinho lá. Num enxergava nada. Num via uma mísera luzinha, me sentia impossibilitada de mover meus bracinhos e de girar meu corpinho. Esquerda, direita: o cantinho não tem.

Fui e fiquei lá. Era escuro, apertado, sem música, sem aconchego, sem sabor, sem som e sem tom...
E me encurralei por tempo longo o bastante pra eu saber que aquilo (nada) lá eu não tava gostando muito não.

Minha vontade, pequena, era de sair daquele
ângulo reentrante formado pelo encontro daquelas linhas. Chamei atenção. Só que parecia que eu não tinha forças... E era o q me bastava pra “curtir” o cantinho. Me sentia impotente, descrente e com muita saudade dos tempos de que quem “dirigia” minha vida era eu (!).

Devagarinho virei minha cabeça e dei uma olhadinha pra trás.
Voltei pro cantinho. Depois dei mais uma espiadinha.
Vi quanta coisa linda tinha pro lado que eu não estava focada, tanta coisa vivida, tantas experiências e um mundão e um vidão pela frente – q aliás, naquela hora, tava pra trás...

Girei. Ainda tímida, receosa e cansada – pq olhar “pro nada” cansa – só que disponível pra encarar a abundância desse vidão e mundão. Combinar meus sonhos com as minhas potencialidades. Fazer valer minhas vontades. Liberdade. Não ter dúvidas, não desanimar, ser disciplinada e ter esperança – e o cantinho tem tudo isso ai que te deixa nesse sono profundo de uma vida sem sentido...

SAI DO CANTINHO.
NUM GOSTEI DO CANTINHO.

E como disse meu Papito: “Se vc for pro cantinho de novo, faça teu cantinho redondo... Pelas curvas vc seguirá, necessariamente, prum lado ou pro outro e não ficará encurralada mais não...”

AGORA TÁ TUDO QUENTINHO! FLORINDO!



Um comentário:

Cristiane Kopp disse...

Oi Japinha, tudo bem?
Vc e esses seus textos alto-astral! Eh muito bom ler seus textos! Qdo tava ai no Brasil, mostrei pra minha mae o texto da D. Jaira do metro e o comentario dela foi: "Ai, mas como eh gostoso o jeito que ela escreve".

As mensagens estao todas por ai, soltas no mundo, cada uma intencionada pra uma pessoa diferente. A mensagem do "Cantinho" era pra mim! Como foi bom ir me reconhecendo ao longo do texto, ir lembrando de como foi dificil (quase traumatico) sair do cantinho e sentir de novo com toda intensidade o prazer de ter dado o passo decisivo estar hj no centro da vida.

Valeu por esse texto, Neuzinha!! As 3:19 a.m. no meridiano de Greenwich vc fez uma pessoa feliz, quer dizer, mais feliz. :o)

Vou tentar anexar uma foto que tirei um tempo atras que eu acho que tem a ver. Se nao der certo, te mando por e-mail depois, ok?

Beijo enorme saindo do hemisferio norte, indo, sem conexao, direto pra vc ai em Sampa!!
Saudade,
Cris.